Belmiro apresenta novo trabalho discográfico no Centro Cultural Norberto Tavares

Nos caminhos da música desde muito jovem, Belmiro Semedo lança hoje o seu mais recente trabalho em CD e DVD, “Sonho Real”. Um best of que assinala o seu regresso ao grande público e a continuidade de um percurso em que a música foi sempre presente na mundivivência familiar, ou não fosse ele irmão de Vado e Gil Semedo

 

Lembram-se de “Txuba”, esse grande êxito da música caboverdiana dos anos 90? Pois é, um êxito que tem rosto e nome: Belmiro Semedo, que empolgou plateias e levou alegria a milhares de patrícios. Ele está de volta com o seu mais recente trabalho: “Sonho real” – uma viagem por grandes temas do seu repertório e duas estreias absolutas (Dja manxi e Nben di longi). Sempre no caminho da tradição dos anos de ouro da música e da terra que o viu nascer.

Desta feita, é um CD e um DVD que enformam o novo trabalho e nos permitem uma viagem pelo universo musical e as vivências artísticas de Belmiro, com dados biográficos e uma entrevista ao autor que, sem barreiras, se expõe ao seu público e se entrega por inteiro aos que, ainda, não conheciam o seu trajeto.

Um trabalho que Belmiro apresenta esta sexta-feira, 07, a partir das 16h00, no Centro Cultural Noberto Tavares, um espaço que ostenta o nome de um outro grande da música caboverdiana. Uma conversa com música pelo meio e a interpretação ao vivo de dois temas deste seu trabalho.

Difikuldadi, Valor di un amor, Dja manxi, Konvivensia, Fruto di nos tera, Valor umanu, Txuba, Monentus ingratu, Korason, Abo e nha tudu, Konsi limiti, Spasu e largu pa ken ki gosta, Stabilidadi, E sai taun gira e Nben di longi são os temas que compõem “Sonho real”.

Nos caminhos da música

Belmiro Semedo Moreira nasceu em Chão de Tanque, Santa Catarina, onde frequentou a escola primária e começou a despertar o amor pela música, imaginando o talento que poderia ter um dia.

Desde criança adorava ouvir músicas na rádio, deliciava-se a escutar essas músicas, uma maravilha, despertando para um mundo de muitas emoções. Pela primeira vez viu um violão, pensou logo que era um instrumento que desejaria ter. E assim foi.

A sua infância foi passada em Cabo Verde, onde viveu ate aos 15 anos de idade, depois emigrou para a Holanda, Roterdão, onde vive até hoje. Devido à sua paixão pela música, assim que apareceu a primeira oportunidade, Belmiro iniciou a carreira de DJ.

Comprava muitos discos, principalmente músicas de Cabo Verde, mostrando sempre essa paixão pela música. A curiosidade na música despertava cada dia mais e desejou chegar mais perto do público.

No seu tempo de DJ animou muitas festas populares e privadas e o desejo de cantar para o público aumentava. A primeira atuação onde cantou para o público foi em 1988 acompanhado por um grupo de músicos.

Belmiro não parou desde aquela altura, participou em “Todo Mundo Canta” e em shows com os irmãos Gil e Vado Semedo no início das suas carreiras. Belmiro lançou o seu primeiro CD “Spaço é largo pa kenha ki gosta” no ano de 1993, “Stabilidadi” em 1995, “Ku mas unidade” em 1998 e “Valor Humano” em 2007.

Belmiro, neste momento, concretiza a sua estabilidade musical com o lançamento do seu CD e DVD best of “Sonho Real”.

 

 


Travessa Baixo, Poilão, Mato Gegê, Librão e João Bernardo são as localidades que, ainda este ano, vão beneficiar de energia elétrica   A rede pública de eletricidade vai chegar, ainda este ano à zona...
No entanto, outros bairros irão ser contemplados nos próximos dois anos, decorrente da assinatura de contratos-programa com o Governo, no âmbito do Programa de Requalificação, Reabilitação e...
O contrato-programa foi assinado na última sexta-feira, mas o número de famílias contempladas vai elevar-se a um total de 377, decorrente de uma verba global de 113 mil contos   Cerca de 20 mil contos...
A campanha é organizada pelo Pelouro do desenvolvimento Social e conta com a colaboração de académicos e de estudantes dos cursos de enfermagem das universidades, da Delegacia de Saúde, da Cruz...
Recursos já estão disponíveis para mitigação dos efeitos do mau ano agrícola, paralelamente à mobilização de água   Vinte e um milhões de escudos é a verba assegurada para a criação de frentes de trabalho...

© Sítio da CM de Santa Catarina 2019