“Amor, Arte de Viver”: Encontrar o significado do amor, apesar das deceções

Alisa Astral Lopes, no seu primeiro livro de poemas, propõe uma visita ao conceito de amor, nas diferentes fases e situações da vida. Uma reflexão sobre as dores que o caminhar pela vida trazem, num visão pessoal e singular proveniente das suas experiências pessoais que a ajudaram a ser a escritora

 

Em uma mensagem de confiança e crença que as situações de dor encontradas durante a vida podem ser ultrapassadas, Alisa Astral Lopes deu a conhecer o seu primeiro livro de poemas no Centro Cultural Norberto. Aconteceu esta terça-feira, 12, e “Amor, Arte de Viver” foi apresentado por Luís Rodrigues. Uma obra que, segundo este professor da Universidade de Santiago, foi escrita num tom confessional, “como se tratasse de um diário escrito da vida de alguém”.

Para Alisa Lopes o livro “é uma busca interior e uma aprendizagem. Aprender a libertar-nos dos sentimentos negativos que fazem parte da caminhada da vida”. E sublinha que o mais importante é o amor-próprio, estar em paz com tudo e todos, e saber quem somos e a responsabilidade que temos com o mundo.

Para Luís Rodrigues a autora não finge a dor, e a dor que escreve é a “dor que deveras sente”. “Autocardiografia” é a forma como Rodrigues classifica a obra de Alisa Lopes, em contraponto com o poema “autopsicografia”, do poeta português Fernando Pessoa, onde se diz que o poeta é um fingidor.

Segundo o apresentador “todos os textos são, literalmente, o bater de um coração e de um sentimento em palavras”, sendo esta a principal razão pelo qual recomenda a leitura do livro.

Rodrigues fez uma viajem pelo conteúdo da obra, com pausas para recitação de alguns poemas, aos quais o público reagiu com palmas. Uma viagem que se inicia na tentativa de compreender o amor, passando pelas paixões, amizades, incompreensões, até uma análise sobre a vida, a felicidade e o amor.

Com o lançamento da obra a autora cumpre, assim, seu “sonho de menina”, num livro “que, no fundo, é a crença na bondade humana, que todos somos bons, mas confrontados com dramas pessoais, sociais e familiares que, por vezes, nos tiram do rumo, para que no fim possamos nos encontrar”, como resume Luís Rodrigues sobre a mensagem de “Amor, Arte de Viver”.

 

Responsáveis pela própria felicidade

O poema “não permita ser usada” é dedicado às mulheres. Um tema em que o título fala por si. A autora, assim como no poema, explicou a vontade de todos em sentirem-se amados. E, mesmo com essa vontade, de amar e ser amada, aconselha as mulheres a não colocarem a sua felicidade sob a responsabilidade de outra pessoa. “Somos responsáveis pela nossa própria felicidade”, assevera.

Numa conversa com a plateia, apelou à responsabilidade das mulheres, para que não permitam que sejam maltratas verbalmente ou fisicamente. E apelou a uma reeducação para que possam assumir a sua responsabilidade, e saber quando sair de um relacionamento “tóxico”, com agressões verbais e físicas.

 

Acredite

Formada em Psicologia Aplicada pela Southwest University, na cidade de Chongqing (República Popular da China), Alisa Lopes aborda temas “mais profundos numa linguagem mais simples”, como amores incompreendidos, suicídio, depressão e o empoderamento feminino e masculino. Temas analisadas em uma perspetiva de que são situações a que as pessoas estão sujeitas durante a vida, mas que podem ser ultrapassadas.

O poema “papéis invertidos”, uma visão de uma filha que viu o pai afundar-se no alcoolismo, é um exemplo dos problemas sociais abordados pela autora. Alisa pede uma reflexão e atenção às situações onde mulheres, filhas e filhos, invertem os papéis devido às consequências do alcoolismo. E, quando fala em alcoolismo, engloba outras drogas.

“Mas temos que entender que não é nossa culpa. Devemos esforçar-nos para ajudar, mas sem nos sentirmos culpados”, é a reflexão deixada pela autora.

Apesar de dores e deceções, a mensagem da autora é positiva e de mudança. “Temos que aprender a lidar com emoções e saber lidar com momentos de perdas, realizações e vitórias”.

“Temos a chave para viver uma vida feliz”, é a mensagem deixada por Alisa Astral Lopes através do poema “acredite”, com o qual encerrou o lançamento de “Amor, Arte de Viver”.

 


© Sítio da CM de Santa Catarina 2019